R$78,30

Meios de envio
Nossa loja
  • Velas Pai João De AngolaAvenida Dona Sofhia rasgulaeff, 177, Jardim Alvorada Maringa - Pr. CEP 87033400 - Atendimento de Segunda à Sexta das 9:00 às 18:00 Telefone (44) 3034-5827 e Whatsapp (44) 9 9736-0296
    Grátis
Descrição

Quem é Xangô Umbanda?

Ele é o orixá da sabedoria, da justiça, da política.
 Seu poder é representado pela balança, simbolizando o equilíbrio do julgamento.
Ele é quem luta para manter o universo divino balanceado e consistente.
 A representação de Xangô muitas vezes é feita com um machado.
É um machado de dois gumes, que representa a força da justiça que corta para os dois lados, representando a neutralidade do equilíbrio.
 Quem invoca a justiça de Xangô deve ter em mente que também será julgado, e se estiver devendo à justiça divina, também terá que pagar.
A história de Xangô Umbanda

    Xango UmbandaXangô era um ser humano que se encantou e tornou-se um orixá.
Ele nasceu em uma cidade chamada Oyó, que atualmente faz parte da região ocidental da Nigéria. Foi um homem sedutor e vaidoso, que descobriu ter o domínio do Fogo e do Trovão.
 Muitas são as lendas que envolvem este orixá. Na mitologia, muitas vezes ele aparece como filho de Bayani, como um orixá que nasceu para reinar, e como
    Ogum
    , conquistar e solidificar.

    Uma famosa lenda de Xangô retrata seu poder, sua fúria, mas acima de tudo seu senso de justiça. Ele, acompanhado de seu numeroso exército, viu-se à frente com um poderoso exército inimigo. Este tal exército era conhecido pois exterminar seus opositores, sem qualquer piedade.
A batalha foi dura, o exército de Xangô perdia muitos homens.
Ele via seus homens sendo derrotados, mutilados e jogados ao pé da montanha.
 Isso provocou a ira do orixá, que num movimento rápido chocou o seu martelo contra a pedra, provocando imensas faíscas. Quanto mais forte ele batia, mais inimigos eram atingidos pelas faíscas. Ele fez isso até derrotar boa parte do exército inimigo.
 A força de seu machado acovardou o inimigo.
Alguns inimigos haviam sido feitos de prisioneiros, e os ministros de Xangô pediam a destruição total dos opositores. Ele negou. “Meu
    ódio
    não pode ultrapassar os limites da justiça.
 Os guerreiros cumpriam ordens, foram fiéis aos seus superiores e não merecem ser destruídos.
Mas, os líderes sim, estes sofrerão a ira de Xangô.” Neste momento, ele ergueu seu machado ao céu e descarregou uma sequência de raios, que atingiram cada um dos chefes inimigos.
Os guerreiros, poupados, passaram a servir Xangô com lealdade.

    Esta lenda mostra como para este orixá, a justiça está acima de tudo e que sem ela, nenhuma conquista vale a pena.
 Para Ele, o respeito é mais importante do que o medo.


Quando se pede a intervenção de Xangô pela justiça é preciso estar atento que antes de nos ajudar, ele irá analisar a nossa conduta.
Ele verifica se temos sido justos em nossa vida com os nossos semelhantes.
 A balança deste orixá busca o equilíbrio, e tudo o que não está de acordo com a Justiça Divina é contado.
 Ele nos provém da justiça que buscamos de acordo com a nossa necessidade e merecimento.
Os filhos de Xangô

Os filhos de Xangô são descritos como tipos firmes, seguros, energéticos.
São seres que inspiram a maturidade mesmo quando jovens, sem que isso lhes tire a beleza ou alegria.
Têm comportamento comedido, prezam pela sua segurança e por isso nunca dão um passo maior que a perna.
 Suas medidas e decisões são tomadas com estabilidade. Assumem facilmente a liderança, são bons conselheiros e não gostam de ser contrariadores.
 São normalmente serenos, mas podem passar a atitudes austeras e até agressivas quando estão irados ou contrariados.
São discretos, humildes e não guardam rancor de ninguém.